About Us

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit.

Aenean vulputate nisl arcu, non consequat risus vulputate sed. Nulla eu sapien condimentum nisi aliquet sodales non et diam. Duis blandit nunc semper rutrum congue. Phasellus sed lacus ut odio vehicula varius. Etiam iaculis feugiat tortor ac ornare.

Stay connected

Blog Post

Autocuidado e autoconhecimento são fundamentais para prevenir a saúde mental
Desenvolvimento

Autocuidado e autoconhecimento são fundamentais para prevenir a saúde mental 

Compartilhamos nossa vida pessoal nas redes sociais até com desconhecidos, mas na hora de falar sobre questões emocionais e de saúde mental a resistência ainda é predominante.

Segundo dados da OMS de 2020, 322 milhões de pessoas sofrem de depressão no mundo. Isso aponta um aumento de mais de 18% em dez anos. Outro transtorno em grandes proporções é a ansiedade com 264 milhões de pessoas acometidas, 15% a mais em relação a 2015.

O Brasil é o país com a maior taxa de depressão da América Latina e também o país com maior porcentual de pessoas ansiosas do mundo. Isso significa que, no Brasil, há um número estimado de 11 milhões de pessoas vivendo com depressão (Fonte: Site Dráuzio Varela).

Vencer o estigma para cuidar da saúde mental

Há muito estigma de falar do tema, pelo medo de julgamento e exclusão. Mas o problema existe e é cada vez mais presente em sociedades desiguais ou também em ambientes em que o autoconhecimento e o autocuidado não são valorizados.

Isso deixa claro que a ansiedade e a depressão são problemas graves de saúde e seus impactos vão muito além da vida pessoal. Inevitavelmente são questões que afetam o trabalho e merecem ter a atenção de empresas, gestores e dos próprios profissionais no gerenciamento de suas carreiras.

Como o autocuidado e o autoconhecimento podem ajudar na saúde mental?

Ainda de acordo com a OMS, autocuidado é a capacidade individual de promover e manter a saúde, prevenir e lidar com doenças com ou sem o apoio de um profissional. Assim, podemos entender que é a autonomia necessária, baseada em informações precisas, que auxiliam nas escolhas e ações em relação à própria saúde.

Já o autoconhecimento, passo importante de autocuidado que elucida emoções, medos, limites e potencialidades, é o que vai auxiliar no enfrentamento das adversidades. Afinal, são vários fatores como perdas, estresse excessivo, onipotência diante do que não temos controle, entre outros, que podem desencadear quadros de ansiedade e depressão. Neste sentido, autocuidado e autoconhecimento formam a dupla preventiva ideal para nossa saúde emocional.

O que fazer para cuidar da saúde mental no ambiente de trabalho?

Já parou para pensar nestes dois aspectos, autoconhecimento e autocuidado, para tomar as rédeas do seu bem-estar e cuidar da sua saúde mental? No texto de hoje temos orientações de como estas questões podem ser tratadas nos âmbitos pessoal, no papel de líder e também nas ações corporativas.

Como empresas: devem tratar a saúde mental sem preconceitos. Definindo protocolos e diretrizes para abordagens, campanhas de conscientização, apoio preventivo e suporte de tratamento, se houver diagnóstico, entre o quadro de funcionários. Mas acima de tudo, agir de forma preventiva com treinamento às lideranças e criação de uma cultura e clima organizacional saudável e acolhedor.

Como líder: precisam estar atentos à sua equipe, abrindo espaço para o diálogo e exercendo a empatia e a escuta ativa. É importante colocar a saúde mental na agenda de sua liderança e declarar publicamente apoio à causa. Pode parecer pouco, mas contar com o acolhimento significa muito para quebrar resistências e prevenir casos mais graves de saúde mental.

Como indivíduo e colaborador: lembre que o papel de acolher pessoas que estejam enfrentando questões de ansiedade ou depressão é de todos. E essa pessoa pode estar ao seu lado. Ao perceber que alguém do trabalho teve mudanças repentinas de comportamento, converse e pergunte se está tudo bem. Escute com empatia, sem a responsabilidade de resolver o problema, apenas escutar e sugerir que busque ajuda profissional. A colaboração com a quebra do estigma sobre saúde mental está também em nossas palavras e atitudes. Assim, não taxe como “frescura” e evite o uso indiscriminado de palavras como louco (a), bipolar e depressivo (a).

Quanto a sua própria saúde mental, valorize sua trajetória pessoal e profissional. Busque entender as próprias emoções e adote o autocuidado diário, seja com a prática de atividades físicas, qualidade do sono, tempo para sua leitura, tempo para o ócio, entre outras coisas em que você seja a prioridade. Mas o mais importante, procure ajuda! Converse com sua família, amigos e também agende uma conversa com um profissional de psicologia.

Related posts

Deixe uma resposta

Required fields are marked *